quarta-feira, 13 de maio de 2009

Por cima do muro

Desculpe, não posso fazer muito por você...
Posso te olhar até me cansar,
que seria impossível!
Mas sinto muito se renasci das cinzas e de tudo já não me faço sentido.
Me vendo em seu vão, no que antes parecia se apagar
Por culpa da tal escuridão
Fases minhas passaram sem antes chegar.

Desculpe se já não te vejo com os mesmos olhos
Se não te encaro com a mesma vontade

Esquecemos do valor das coisas pequenas e fugir da sua pena
é como encarar a realidade.

Entre seus abraços e olhares,
nossos laços...
Momentos dignos de lembrança.
De que importam se já não vejo mais seus passos?
Se tudo nasce e morre na sua desconfiança...

Vou deixar você se achar no escuro, e por tudo
sorrirei apenas te imaginando.

Te ouvindo no meu silêncio mais puro,
Guardarei desculpas pra seguir te olhando...

Vivendo, sonhando
por cima do muro.
Karla Moreno

4 comentários:

Madamefala disse...

"Desculpe se já não te vejo com os mesmos olhos
Se não te encaro com a mesma vontade "

Tudo fenece, antes eu acha ruim....hj acho bom, afinal a eternidade assusta.
O infinito é muito poético pra virar realidade.

beijos grandes menina.
Brigada por não abandonar as visitas no meu cafofo...rs

Atreyu disse...

Não menina!!!
Lute! Saia do muro!!!
Pele, se arrisque, viva!!!!
=*

Allan disse...

Dont worry, about a thing, cause every little things, gonna be alright!!

^^

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.
(Charles Chaplin)

Hoje passando para desejar um final de semana com muito amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl.