domingo, 1 de março de 2009

Era uma vez

Era uma vez, duas pessoas...

Ela era desastrada, não falava nada com nada, com a cabeça sempre ocupada, num mundinho longe de contos de fada. Era como todas as outras, mas não era as outras. Não era porque ela era diferente, e ele reparou isso. Ele, totalmente desvairado, com cara de pouco apaixonado, desleixado, despreocupado, desde os tempos desconhecidos de algum passado. Era como todos os outros, mas não era normal. Não era porque ele era diferente, e ela reparou isso.
Nada está perto de ser perfeito, como o "felizes para sempre". Uma abóbora nunca vai se transformar em carruagem. E sapos não viram príncipes. Mas há coisas abstratas, com significados concretos, que jamais conseguiremos traduzir, descrever, apenas sentir sem nos perguntar o por que. Sem sorrisos forçados, gentilezas forjadas, eu estou falando de sentimento!
E quando se trata dele, nada é pensado, a vida deixa de ser contada por minutos, e passa a ser registrada por momentos. Tudo passa, beijos, risos, olhares, menos o tempo.

Era uma vez, duas pessoas, longe de contos de fada, maçãs envenenadas, e feitiços pra dormir...
Era uma vez, uma desastrada, que só queria fazer um desleixado feliz!

Karla Moreno

(Amei o dia ontem, amor!)

3 comentários:

Gheisy Emanoelly disse...

Muito bom olha, realmente muito bom! Quando estamos apaixonados tudo se encaixa. Aí, é verdade paciência é tudo mesmo, e ainda mais quando temos amor. E nós já estamos bem, e logo quando eu vim postar eu coloco o selo, é eu e meus desabafos. Até logo, Kakau. Um beijo pra ti, e desejo muitos momentos apaixonados pros dois.

Maria Inácia Bellico disse...

Que lindo texto! Super romântico e ao mesmo tempo realista, misturando a magia dos contos...

Bjim*

Cáh disse...

O amor talvez seja o único ponto de partida!
Estes dias estava bem desencantada disto... mas aprendi que a paciência gera cada vez mais amor... Não tem como explicar o que se sente quando abraça apertado até parar a respiração, quando o cheiro da pele é melhor que o perfume, quando aquele beijo parece sempre o primeiro!
Lindo texto.... muito sincero! Quase pude te ver!


Obrigada pelo selo! ;)

Beijos e boa semana minha querida!