segunda-feira, 17 de maio de 2010

Quero muito

Ah, eu quero tanto saber a resposta pra essa pergunta. Você chega e vai embora, eu fico aqui só fritando neurônios. Falar sozinha não adianta muito, a nao ser que o eco bata um papo com você. No meu caso, nem o eco dá bola. E eu queria tanto saber a resposta dessa pergunta. Parece algo que falta, algo que desandou meus pensamentos, uma pedrinha no travesseiro que toda noite eu tenho que me livrar. Tudo faz sentido quando olho ao meu redor, mas a pergunta me repudia, me bate, me castiga. Quero não perder o que um dia me orgulhei em ver no espelho. Mas essa de sentir demais pode fazer doer, e viver é morrer ao avesso. Quero calma. Quero mais amor nessa sede de afeto. Quero gratidão, quero carinho, quero lágrimas sinceras e sorrisos menos forçados. Quero tanto, e muito. Quero mãos quentes sobre as minhas no meu pior momento, naquele que me sentir vazia, sozinha, no meio de uma mutidão de ninguéns. Quero abraços acolhedores, que me façam querer dormir em pé. Quero muito, e tanto. Quero um mapa pro caminho onde ninguém esteja traçando. Um refúgio, é isso. Quero o pôr do sol feito retrato em meus olhos, nos dias nublados, que eu estiver no meu quarto, trancado. Quero sim, o impossível. Uma prova seria pouco, quero provar, isso sim. Quero, como nunca. E não quero ser exigente. 

Queria mesmo era saber a resposta, ela me diria tudo. Tudo bem que preciso de uma pergunta pra chegar a ela. O que não tenho.
Na verdade, só quero ser compreendida mesmo.  
Karla Moreno

Um comentário:

Renan disse...

Os versos saem da suas maos como uma naturalidade que eu consigo sentir de longe..
Parabens por mais um de milhares textos maravilhosos
beijaoo